Tradutor

quinta-feira, 31 de maio de 2012

Vídeo-poema de Gilson Silva


Poesia Horizontal


sábado, 26 de maio de 2012



Ao caboclo sonhador
Gilson Silva

Venho agora neste instante
Fazer um verso completo
Mesmo um pouco dividido
Pra homenagear bastante
Este poeta com afeto,
Este sertanejo bendito.

É meu amigo sinsinhô,
Mesmo de fecebook
Numa amizade que empanca
Na onda do computador
Sem artimanha nem truque,
Mas profundamente franca.

Digo e reafirmo agora:
Esta amizade é plena
Que por nós será infinda
Que entrevará as horas,
O minuto não engrena
Nada se vai, tudo é vinda.

Hoje digo: amanheci,
Completamente seu fã
Entre sanfona e flabelos.
Que a linda Iguaraci
Dê ao mundo de manhã
Novos Macieis Melos.

Pra que o mundo tenha paz,
Mais amor libertário
Sem o jugo explorador.
Vou encerrar com todo gás,
Ah! Feliz aniversário!
Ô Caboclo Sonhador!

Homenagem de  Gilson Silva e Graça Lima, fundadores do Bloco Lírico Rosas da Boa Vista. PARABÉNS GRANDE POETA!

quinta-feira, 24 de maio de 2012


Luis Gonzaga merece algo melhor
Por Gilson Silva

Ontem (24/05/2012) eu fui a mais um evento em homenagem ao nosso Rei do Baião (Luiz Gonzaga), desta vez lá na Torre Malakoff, o título do evento: Coisas que aprendi nos discos - Edição Luiz Gonzaga, evento este realizado pelo governo de Pernambuco com apoio da Fundação Joaquim Nabuco e coordenado por Fátima Bulcão, no hall de entrada uma grande estátua de Luiz Gonzaga dava as boas vindas, feita, possivelmente, pelo grupo de Aberlado da Hora, o mesmo se encontrava no evento com sua vitalidade admirável. Foram doze artistas convidados, segundo o material gráfico que foi distribuído no local, por sinal muito bom, material de primeira, em forma de compacto de vinil, no encarte interno uma copia fiel de um compacto de vinil feito de papel, que dava os informes do evento, até aí tudo bem. Cheguei às 18h30min, as sete e pouca chegou o trio Pe-de-Serra, imediatamente começou a tocar um forrozinho ao lado da estátua. Foram servidos pipocas e caldo de cana em poucas quantidades, logo a cota de 100 pipocas e caldos de canas foi atingida (segundo o vendedor de pipoca) e não mais foram distribuídos grátis, passaram a ser vendidos, até aí tudo bem, mas cadê a homenagem merecida do Rei do Baião? Não houve ninguém cantando músicas dele, não houve ninguém xaxando... Não houve ninguém ensinando nada, já que o material gráfico dizia bem claro: É para ensinar e pra nunca esquecer e que seria um programa educativo, confesso que não vi nada disso, o que eu vi foi um evento no local fechado, pequeno e alem do mais em reforma, sem elevador funcionando, obrigando a todos, inclusive a Aberlado da Hora com seus quase 90 anos ter que subir as escadas estreitas de madeira pra ver as gravuras de Boges e outras obras de outros artistas que se localizava no primeiro andar. Tinha alguns quadros em três dimensões mostrando palafitas e uma enquete de uma feira feita por Elizângela das Palafitas, um trabalho muito bem feito, este sim tinha haver com Luis Gonzaga e com certa grandiosidade como o mestre merece, os demais também legais, mas não expostos para o grande público, tinham: uns quadros com fotos em preto e branco com sertanejos, grafites, trabalhos de audiovisuais numa salinha pequena com som ambiente, coberta com cortinas pretas, sem muita criatividade e no hall, onde o trio se apresentava, tinha uma pequena caixa amplificada que servia para o apresentador fazer o seu trabalho, apresentando o convidado Marcelo Mario de Melo que leu o seu cordel (feito para o evento) com algumas quadrinhas bem feitas falando dos participantes. Durante alguns uns minutos deu pra se ver tudo, quase tudo, ou melhor, nada com o peso de organização e de público que o Centenário de Gonzaga merece. No lançamento foi assim, imagine como serão os outros dias de evento, pois o mesmo se estende até o dia 05 de maio (terças, sextas e domingos) foi muito dinheiro aplicado para pouco resultado!

quarta-feira, 23 de maio de 2012


No tempo do Zeppelin
Gilson Silva

Faço minhas músicas a pico de pena
Escrevendo na memória um passado
Num tempo que a encena era outra história
De carnavais de muitos legados,
De papangus, marmotas e jetons
Desses sonhos bons, dos apaixonados.

Brinco com as letras e lança-perfumes,
Vejo o meu ontem tão perto de mim
O lume das estrelas do Recife
Exibe as cores desse tempo jasmim.

Vem passado, quero viajar contigo,
Vendo tal riso Durango Kid assim,
Quero-me ver entre outros cordões
Desse belo tempo do Zeppelin!                           

Frases e pensamentos



Levaram o "carrinho" (Renault) da prefeita corrupta!
Em versos eu digo:

Ladrões roubam a prefeita
Do PSDB que nos fere,
Fedido a corrupção.
Roubaram carro importado
Dessa tal Rosemeire
Metidinha a grã-fina,
Essa prefeita do cão
Que adora jogo safado
E distribuir propina.

23/05/2012 às 09h46min - Atualizada em 23/05/2012 às 09h46min

Prefeita de Engenheiro Coelho tem a casa assaltada na noite de terça-feira

Três homens armados invadiram a casa da prefeita de Engenheiro Coelho (SP), Rosemeire Maria Guidotti Scholl (PSDB), na noite desta terça-feira (22). Segundo a Polícia Militar, os suspeitos abordaram a administradora enquanto ela recebia visitas no local. O portão da moradia, que fica no Centro da cidade, estava aberto.

Os assaltantes levaram o Renault preto da prefeita e objetos de dentro da residência. Ainda não se sabe o que foi levado do local. O caso foi apresentado no plantão policial, mas ninguém foi preso até as 9h desta quarta-feira (23). Ninguém ficou ferido na ação. A Polícia Civil irá apurar o caso, já que a prefeita é investigada por supostas irregularidades.

Investigada na CPI
A prefeita de Engenheiro Coelho é investigada pela Câmara por duas supostas irregularidades. No dia 25 de abril, o Legislativo aprovou uma Comissão Processante (CP) para apurar possíveis pagamentos irregulares em contratos de dedetização para o combate à dengue.

No início do ano, a Câmara já tinha aprovado uma Comissão Especial de Inquérito (CEI) para apurar o mesmo caso. Já no dia 28 de março, o Legislativo aprovou a primeira CP para investigar a prefeita sobre uma denúncia de susposto pagamento de propina em troca de voto favorável de um vereador para aprovação das contas do município.

terça-feira, 22 de maio de 2012

.......................................


SONETO À POESIA
Gilson Silva

A qual rei serve a lírica poesia
Desta feita com alma tão perfeita,
Que o verbete por si só se deleita
Numa completa e profunda harmonia?

Que para uns é como uma coisa-feita,
Mandinga de amores que extasia
Que ao mais frágil amor como vicia,
Que os poetas aprendem sem receita.

Com medida certa para cada ser
Que ver no verso um rosto camafeu
Abrasando a alma a lhe descrever.

Pois com a singeleza de um plebeu
Digo-vos que ela na verdade é
O reinado que aprazia todo meu eu.

Voz da consciência


Voz da consciência
Gilson Silva

Gritas camarada com a voz do teu povo
Fazes-te ouvir além da muralha do medo,
Fazes-te liberto de verdade ao mundo,
Fazes-te tudo que queres bem cedo
Antes que o silêncio na tua garganta desperte
Neutralizando-te, amordaçando-te sem piedade,
Diante dos que te querem túmulo.
Eu te peço camarada gritas: LIBERDADE!

Sou nada

Sou nada
Gilson Silva

Sou o prolongamento do meu eu: nada
Que se divide e forma outros eus
E como eu, são nada.
Nesses tantos eus sem nada
Galgando espaços entre os todos.
Como tolos abraçamos o circo
“dado” para amordaçarmos aos poucos
E como louco riu de mim mesmo.
Ah! Doçura amarga da inocência coletiva!
Eu individuo também coletivo, também nada,
Nado contra a correnteza nesse esmo
De cidadania de minúsculas partes.
Como me arde de ser nada
Diante do assombroso mostro: poder.
Movo palhas pra findá-lo, mas nada!
Chacoalho, chacoalho, mas não cai.
Talvez contigo e tantos outros
Deixaremos enfim, de sermos nada!

Recife e Olinda

Notícias do Rosas

> FOTOS DO MERCADO DA BOA VISTA 16/03/2014 <

 

APRSENTAÇÃO DO ROSAS NO AURORA DOS CARNAVAIS 2014

 

 

Degustas Frevos