Tradutor

segunda-feira, 25 de março de 2013

VIVA O PARTIDÃO! PCB, 91 ANOS DE HISTÓRIA!


quarta-feira, 13 de março de 2013

Foi eleito um Papa argentino. E agora Brasil, a copa está no papo deles! kkk


HOMENAGEM DO BLOCO ROSAS DA BOA VISTA
A ESTE GRANDE ARTÍSTA PERNAMBUCANO

Chico Science

Francisco de Assis França, mais conhecido pela alcunha de Chico Science (Olinda, 13 de março de 1966Recife, 2 de fevereiro de 1997) foi um cantor e compositor brasileiro, um dos principais colaboradores do movimento manguebeat em meados da década de 1990. Líder da banda Chico Science & Nação Zumbi, deixou dois discos gravados: Da Lama ao Caos e Afrociberdelia, tendo sua carreira precocemente encerrada por um acidente de carro numa das vias que ligam Olinda e Recife. Seus dois álbuns foram incluídos na lista dos 100 melhores discos da música brasileira da revista Rolling Stone, elaborada a partir de uma votação com 60 jornalistas, produtores e estudiosos de música brasileira. Da Lama ao Caos na 13ª posição e Afrociberdelia em 18° lugar. Em outubro de 2008, a revista Rolling Stone promoveu a Lista dos Cem Maiores Artistas da Música Brasileira, cujo resultado colocou Chico Science em 16ª lugar.

Carreira

Chico Science participava de grupos de dança e hip hop em Pernambuco no início dos anos 1980. No final da década integrou algumas bandas de música como Orla Orbe e Loustal, inspiradas na música soul, no ska, no funk e no hip hop, Suas principais influências músicais eram James Brown, Grandmaster Flash e Kurtis Blow entre outros artistas de destaque da soul music norte-americana. A fusão com os ritmos nordestinos, principalmente o maracatu, veio em 1991, quando Science entrou em contato com o bloco afro Lamento Negro, de Peixinhos, subúrbio de Olinda. Misturou o ritmo da percussão com o som de sua antiga banda e formou o Nação Zumbi. A partir daí o grupo começou a se apresentar no Recife e em Olinda e iniciou o "movimento" mangue beat, com direito a manifesto ("Caranguejos com Cérebro", de Fred 04, do Mundo Livre S/A).
Em 1993 uma rápida turnê por São Paulo e Belo Horizonte chamou a atenção da mídia. O primeiro disco, Da Lama ao Caos teve boa receptividade da crítica e projetou a banda nacionalmente. O segundo, Afrociberdelia, mais pop e eletrônico, confirmou a tendência inovadora de Chico Science e Nação Zumbi, que excursionaram pela Europa onde encontraram Os Paralamas do Sucesso e Estados Unidos onde tocaram juntamente com Gilberto Gil onde fizeram sucesso de público e crítica. Gil considerava Chico Science (juntamente com o grupo baiano Olodum e o compositor Carlinhos Brown) como "O que surgiu de mais importante na música brasileira nos últimos vinte anos". A Nação Zumbi lançou um CD duplo em 1998, depois da morte do líder, com músicas novas e versões ao vivo remixadas por DJs. A família de Chico Science recebeu indenização de cerca de 10 milhões de reais da montadora Fiat, responsabilizada pela morte do cantor e compositor no acidente que lhe tirou a vida, devido a falhas no cinto de segurança do carro que dirigia e que poderia ter lhe poupado a vida.


quarta-feira, 6 de março de 2013

BIBLIOTECA das ROSAS: VIVA SEMPRE, HUGO CHÁVEZ Gilson Silva Resolv...

BIBLIOTECA das ROSAS:

VIVA SEMPRE, HUGO CHÁVEZ
Gilson Silva

Resolv...
: VIVA SEMPRE, HUGO CHÁVEZ Gilson Silva Resolvi fazer uns versos, Pra quem vai, não cabisbaixo Como um mero capacho Do império tão pe...
Foto: VIVA SEMPRE, HUGO CHÁVEZ
Gilson Silva

Resolvi fazer uns versos,
Pra quem vai, não cabisbaixo
Como um mero capacho
Do império tão perverso,
Vai imponente, passo forte
Encarando a própria morte.
Peito aberto, majestoso
Pulso firme e tão vultoso
Encarando todo Norte
Recebendo o passaporte
De uma eterna gratidão
Do seu povo, sua nação.
Do dever tão bem cumprido
Nesse mundo tão corrompido,
Nunca ele molhou a mão
Hoje foi pra ser milhão
Pra contemplar lá de cima
Juntinho Abreu e Lima
A nossa revolução!
Peço-te que só alinhaves
O soluço, não agraves
O penar tão vivedouro
Diga apenas em coro
Viva sempre: Hugo Chávez!

VIVA SEMPRE, HUGO CHÁVEZ
Gilson Silva

Resolvi fazer uns versos,
Pra quem vai, não cabisbaixo
Como um mero capacho
Do império tão perverso,
Vai imponente, passo forte
Encarando a própria morte.
Peito aberto, majestoso
Pulso firme e tão vultoso
Encarando todo Norte
Recebendo o passaporte
De uma eterna gratidão
Do seu povo, sua nação.
Do dever tão bem cumprido
Nesse mundo tão corrompido,
Nunca ele molhou a mão
Hoje foi pra ser milhão
Pra contemplar lá de cima
Juntinho Abreu e Lima
A nossa revolução!
Peço-te que só alinhaves
O soluço, não agraves
O penar tão vivedouro
Diga apenas em coro
Viva sempre: Hugo Chávez!

Recife e Olinda

Notícias do Rosas

> FOTOS DO MERCADO DA BOA VISTA 16/03/2014 <

 

APRSENTAÇÃO DO ROSAS NO AURORA DOS CARNAVAIS 2014

 

 

Degustas Frevos